Descubra, Folk, Indie

James Bay, promessa da música pop para esse ano

Quais as semelhanças entre Jake Bugg, Arctic Monkeys, Foster the People e The Black Keys? Todos fazem parte de uma extensa lista de artistas indie que conseguem, seja no início ou no decorrer de sua carreira, estourar como um grande sucesso comercial, de público e, às vezes, crítica. Ao chegar a esse estágio de sucesso, agregam fãs e admiradores ao redor de todo o Globo, colecionam recordes de vendas, passam a figurar em destaque nos lineups de festivais renomados; passam a ser artistas mainstream. Já é de praxe: todo ano surge um grande sucesso indie. É assim que a indústria cria o que chamamos carinhosamente de modinha. O ano de 2015, que mal começou e já consideramos tanto, certamente não fugirá à regra. E é o britânico James Bay, que lançou seu debut Chaos and the Calm neste mês, quem vem mostrando potencial para ser o maior sucesso de todos os tempos da próxima semana.

james bay chaos and calm

Desde os lançamentos de seus primeiros EPs, Bay já vinha chamando a atenção do público mais ligado ao gênero. Muitos associaram sua música ao folk meio pop de artistas britânicos como Jake Bugg, o que criou certa expectativa. Essa associação só é válida quando considerados seus EPs, mas Chaos and the Calm distancia-se desse tipo de musicalidade e aproxima-se bastante do pop e de sua versatilidade.

Muitas características líricas e melodiosas mantêm-se nas doze faixas do debut. A real diferença é a excelente produção e a qualidade dos arranjos de cada canção. Aqui não há predominância do simplismo e a introspecção voz e violão característicos. E é isso que faz com que a distância entre Bay e o folk aumente ainda mais.

Craving” abre o álbum dando uma breve amostra daquela que será a proposta apresentada a seguir. Com a presença marcante das guitarras, mostra a influência do rock alternativo de guitarras de notas distorcidas e repetitivas. “Best Fake Smiles”, “Collide” e “Get Out While You Can” também passeiam pela mesma proposta, trazendo suas enérgicas guitarradas.

Hold Back The River“, “Let it Go” e “Move Together” trazem refrões pegajosos unidos a carismáticas melodias, o que resulta em belas canções de fácil absorção. O lirismo predominante em todo o álbum está ainda mais presente aqui, nessas canções que tratam do amor e suas nuances. Tal lirismo talvez seja a característica mais cativante em James Bay. “Hold Back The River” é o single de maior sucesso do cantor até agora, somando mais de 47 milhões de execuções no Spotify e 15 milhões de visualizações no YouTube. Mostra a sua capacidade de criar um hit, o que não é nada fácil.

Em Chaos and the Silence, encontramos um artista em formação. Em seu debut, se afasta do folk para expandir-se em sua musicalidade, mostrando suas diversas influências como o rock’n’roll, a música country e folk americana e mergulhando na abrangência da música pop.

Variando entre bons e maus momentos, agrada pelo conjunto da obra. E se existem esses maus momentos, é porque o artista não se acomoda na zona de conforto do seu gênero de origem e busca agregar diferentes elementos em sua musicalidade heterogênea. Chaos and the Silence é um trabalho que mostra um artista com grande potencial e que pode alcançar um nível de qualidade alto. NOTA? 3.5/5

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s