Descubra, Folk

3×1: Sufjan Stevens, Laura Marling e The Tallest Man of Earth

Escondidos os grandalhões do mainstream, estão artistas pequenos, que talvez nunca conhecerão a emoção de estar na capa da Rolling Stone ou de ser concorrente ao Grammy, mas que transbordam qualidade em seus trabalhos e merecem sua atenção. Neste ano, o folk foi protagonista no cenário da música. Como prova disso: alguns álbuns do gênero têm sido unanimidade nas famigeradas listas de melhores do ano, inclusive a LISTA O SESSENTISTA.  No 3×1 de hoje, falarei de três álbuns folk que com certeza se enquadram nessa descrição: “Carrie & Lowell”, “Short Movie” e “Dark Bird Home”.

Sufjan Stevens – “Carrie & Lowell”

carrie & lowell

“Carrie & Lowell”, do norte-americano Sufjan Stevens, foi um dos grandes destaques do ano. Em uma atmosfera convidativa, diminuta, Sufjan nos convida para seu mundinho particular, onde encontra-se solitário com seu piano ou seu violão, sempre introspectivo e delicado. Intrigante e emocionante, narra a história da mãe e do padrasto do cantor de uma maneira apaixonadamente intimista e sincera.

Como todo álbum conceitual, exige que prestemos atenção não apenas na sonoridade que chega aos ouvidos, mas também no que está sendo cantado. A beleza dessa obra reside na maneira como é apresentada a narrativa e como ela é desenvolvida, com uma cativante carga emocional. “Carrie & Lowell” é muito mais do que 43min de onze faixas introspectivas, calmantes e até meio maçantes. Vale dar uma chance a ele para descobrir o quando encantáveis podem ser canções como “Should Have Known Better” e “Eugene”. Nota: 4/5.

Laura Marling – “Short Movie”

laura_marling_short_movie_01

Uma voz doce e aconchegante, que alivia a alma e acalma as dores. Essa é Laura Marling que encontramos em seu elogiadíssimo “Short Movie”. Aqui, não se prende ao folk simplista da dupla violão e voz, mas nos traz algo mais abrangente, variando entre diferentes sonoridades, sem se perder em momento algum.

Em meio a outros lançamentos do gênero, se destaca por sua versatilidade e heterogeneidade, o que o difere do que a cantora havia lançado anteriormente. Variando entre a guitarra e o violão, nos apresenta belos momentos, como “Don’t Let Me Bring You Down”, Divine” e “I Feel You Love”. Nota: 3.5/5

The Tallest Man On Earth – “Dark Bird is Home”

dark bird home

“Dark Bird Is Home”, é o sexto trabalho do sueco Kristian Matsson sob o nome The Tallest Man On Earth. Apresenta um tipo de folk mais próximo à música pop, sustentado por refrões grudentos, versos mínimos e acordes secos e frios do violão. Por canções que poderiam muito bem fazer parte da trilha sonora de Into the Wild, somos facilmente cativados. Um exemplo fácil é “Darkness of the Dream”.

Matsson reúne uma série de boas canções que seguem à risca uma proposta sonora pouco ambiociosa desde o início do álbum, o que é a cara desse tipo de folk poperizado. Canções como “Singers” e “Little Nowhere Towns”, “Slow Dance” e “Timothy” também se destacam nessa mistura homogênea que é “Dark Bird Is Home”.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s